Primeiro mês em Quebec city

Primeiro mês em Quebec city

Depois de uma praticamente um mês, estou de volta.

O mês foi corrido, com muito trabalho e novidades. Nesses dias, tive uma longa conversa com meu orientador. Muitas idéias surgiram dessa conversa: um possível doutorado por aqui. Mas isso é assunto para quando finalizar o estágio por aqui… :) Fui lá no Centre du Phénix saber sobre o curso de francês. Por incrível que parece, o curso por sessão, custa $45. Esse é o preço q eu paguei para fazer o curso de francês por esses 3 meses que ficarei aqui, só isso. Muitas pessoas falam bem desse lugar, e não há apenas cursos de francês. Pelo que fiquei sabendo, há cursos de inglês, matemática, etc. Também tive que ir no Centre Service Canada para fazer como se fosse o”CPF” daqui. É super rápido e simples, e o número do documento, sai na hora.

Há algumas semana atrás tivemos temperaturas baixas por aqui, e só estávamos em setembro. O inverno promete vir com tudo esse ano.  Finalmente consegui ir almoçar com o meu orientador. Ele me levou em um lugar perto da Universidade, onde chamamos de Pirâmide. Almoçamos no ThaiZone. Pedi o General TAO, que tem frango empanado com legumes e um molho agridoce, além do arroz. É bom, mas eu pedi com pouca pimenta, e mesmo assim, achei um pouco apimentado, mesmo gostando muito de pimenta. Ganhei um biscoito da sorte 😀 Nele veio escrito: “You will get what you want with your charming personality.”

Finalmente também utilizei o túnel da ULaval. A Universidade possui túneis entre todos os prédios, inclusive as residências estudantis que deve ser de grande utilidade quando está nevando. de qualquer maneira, utilizei para fugir da chuva.

No final de semana fui com os brasileiros no Les Voûtes de Napoléon, e experimentamos o tão famoso 75! É um bacardi com 75% de álcool e realmente forte. Foi bem divertido :)

Tenho tido dificuldades para dormir cedo por aqui. E tive muitas noites mal dormidas, o que foi péssimo. No entanto, ainda temos dias lindos por aqui, como nessa foto que tirei lá na Laval. Nesse dia também fui ao cinema, assistir um filme brasileiro com a Tay e Nat, duas brasileiras e a Vanessa, que é daqui de Quebec.

Experimentei o Poutine do Ashton, um fast food daqui do Canadá. E não gostei. Ainda sonho em voltar naquele pub onde experimentei meu primeiro Poutine por nada menos que $5, e foi o melhor que eu comi até o momento.

No mais, tivemos a Oktoberfest na Laval. Foi divertido, mas nada comparado às festas que temos no Brasil. $13 o convite, com direito à 1L de cerveja, achei bem justo. Mas como muitos lugares, a cerveja aqui não vem gelada, e 1L para quem não bebe muito, esquenta muito rápido. 😛

Também fomos no Fou-Bar, que fica na Old Quebec. Na verdade, fui com os brasileiros com a intenção de ir em outro lugar, mas fomos num grupo de mais de 10 pessoas e chegamos tarde. Óbvio que não havia mais lugares, então caçamos um lugar naquela noite. Quase fomo parar numa boate gay, mas os caras não queriam ir. Então nossa opção foi encontrar um bar às 23:00 que tivesse mesa livre para mais de 10 pessoas. Experimentei a Boréale Rousse. A noite foi bem divertida, com muita conversa!

O outono aqui é lindo. Não posso negar que fiquei apaixona pelos primeiros dias que as árvores ficam todas coloridas, principalmente as que ficam laranja e vermelho. Mas é bom lembrar que aqui venta muito, então isso pode durar alguns dias só. Tirei essa foto perto de casa. Achei linda essa árvore com todas as folhas vermelhas. Em alguns dias, essa árvore já ficou totalmente sem folhas.

Domingo também foi dia de jantar + sinuca. O jantar, escondidinho de carne moída, muita conversa e sinuca para fechar a noite. Ganhei quase todas as partidas. Mas ainda quero revanche da única partida que perdi contra o Matheus.

Uma segunda-feira que fez MUITO frio aqui. Nunca vou me esquecer. Dia 29 de setembro. Ventou tanto aqui, que acordei assustada com o barulho do vento. Os ventos estavam à 35km/h. Não tem como descrever a sensação de tentar caminhar na rua e não conseguir por causa do vento. Sem contar que varias vezes senti que cairia no chão. Tenho até um vídeo do dia que mais passei frio na minha vida. Voltei da aula de francês no frio, no vento pois nesse dia ainda não tinha o cartão do ônibus.

O computador que eu comprei finalmente chegou no começo de outubro. Um Macbook Air e foi uma excelente aquisição dado o fato que sempre ando com ele. Super leve e vale muito a pena. Consegui derrubar geléia no teclado em menos de uma semana. Esse descuido vai me custar nada menos que $230. Sim, duzentos e trinta dólares canadenses! Lição aprendida!

Depois de 1 mês em Quebec, o tempo tem passado mais rápido. Muita coisa para fazer, estágio praticamente na metade e muito trabalho a ser feito ainda. Meu 1 mês em Quebec foi marcado com esse pôr do sol lindo! Nesse dia fui com o pessoal do departamento comer num lugar perto da Universidade. :)

Fui acompanhar um dos brasileiros para conhecer a Old Quebec num sábado de chuva. Andamos muito, mas foi legal, apesar do frio e da chuva. Tomamos um café no Starbucks e comemos um doce que queria muito comer. Tipo um Stroopwafel, só que maior, com outro tipo de massa. Não sei o nome, quando descobrir eu posto de novo. Naquele final de semana também fui caminhar perto do rio que tem perto de casa. Fui com a Tay e a Dani. O lugar é lindo e fomos bem no final da tarde, pegamos o pôr do sol por lá.

Fazia muito tempo que não escrevia e acumulou muitas histórias. Gostaria de escrever sempre, mas é sempre muito difícil. No último final de semana, saí todos os dias praticamente. Sexta no Parent até as 4am. Sábado, jantar no parent com panquecas e depois Dagobert. E domingo fomos ao Jacques Cartier novamente, mas dessa vez com um pouco mais de sol, porém mais tarde do que da outra vez. Apesar da tpm da última semana, o final de semana foi bem legal :)

Fechando o post com essa imagem do Jacques Cartier.Fizemos um piquenique e tirei algumas fotos por lá.

Tem sido uma experiência incrível estar aqui. Nenhum intercâmbio pode substituir outro que já aconteceu, mas cada um tem seu momento, as pessoas, as novas histórias e amigos. Algumas vezes penso no Brasil, as vezes bate a saudade de algumas coisas, mas a experiência de viver em outro país e ter que “se virar” sozinho é um aprendizado enorme. Como disse para a Tay, quando estamos aqui pensamos mais sobre a vida e damos mais valor ao que temos no Brasil. De qualquer maneira, não tenho vontade de ficar no Brasil. Tenho muitos planos, muitas coisas que quero realizar.

Hoje resolvi escrever pois voltei do lab e não queria ficar no computador. Peguei meu livro “A Startup Enxuta” para ler. E adoro ler esse livro. Tenho muitas ideias e me incentiva a querer colocar tudo isso em prática. Esse livro tem me ajudado muito a pensar e a organizar as ideias.

Bom, por hoje é isso. Já escrevi demais! Não sei quando vou conseguir escrever de novo, mas espero voltar em breve. 😉

Don't be shellfish...Share on Google+Tweet about this on TwitterShare on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *